Tema: Por que João Batista perdeu a cabeça?

Introdução: É muito fácil perder o foco. Ás vezes por falta de entendimento, outras vezes falta de concentração. Alguns por distração e outros por arrogância. São vários os motivos que alguém pode perder o foco.

Conta-se a história de um presidente que foi convidado para inaugurar um porto e ao chegar foi surpreendido por um grande número de jornalistas e todos o cercava e pedia para tirar fotos, outros queriam uma entrevista, outras faziam muitas perguntas, etc... conclusão, os homens inauguraram o porto sem ele. É verdade, nós nos distraímos facilmente e por isso acabamos perdendo o foco.

Creio que escandalizarei você ao afirmar isso, mas é o que a Bíblia diz. João Batista perdeu a cabeça por haver perdido o foco. - Pastor o que o senhor está falando? Sim é verdade, ele perdeu o foco.

I. João Batista começa sua missão, concentrado no seu foco.
Todos perguntam quem ele é, e ele responde claramente: sou a voz do que clama no deserto para preparar os caminhos do Senhor, endireitai suas veredas (Lc 3.4).

II. João começa sua trajetória de preparação do povo para a vinda do Messias.
Ele estava concentrado na tarefa que lhe foi confiada. (Mt 3.11)

III. João Batista continua sua missão com sucesso (Mateus 3.14)
Na Ocasião do batismo de Jesus, ele diz: Senhor eu é que preciso ser batizado por ti e tu vens a mim.

IV. João Batista faz uma revelação surpreendente:
"Eis ai o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, este é aquele que eu disse que viria após mim". (Jo 1.29). Depois disto João Batista está com dois discípulos e ao ver Jesus, ele faz a mesma declaração e os dois discípulos começam a seguir a Jesus. (Jo 1.36).

Até aqui o ministério de João Batista é poderoso e focado, porém depois de algum tempo parece que há um esquecimento da missão ou uma distração do foco e agente percebe pelas citações bíblicas que as coisas mudam.

I. João Batista revela o seu lado religioso.
Palavras bonitas, porém cheias de religião: Importa que ele cresça e que eu diminua, quando na verdade deveria ter dito: importa que ele reine e que eu saia de cena. (Jo 3.30). Se ele havia sido enviado para preparar o caminho para o Messias e o Messias havia chegado, ele deveria levar as pessoas a Jesus e não continuar um ministério paralelo. Jesus estava na ativa pregando e ensinando e João Batista continuava batizando com se o Messias ainda estivesse por vir. Na verdade ele  deveria abrir a boca e dizer em alto e bom som: O Messias esta ali! o Messias chegou! Jesus é o Messias, sigam a ele!

II. João Batista começa a fazer discípulos paralelamente com Jesus.
Ele cria um ministério próprio (Mt 9.14). Isto foi motivo de discussão entre alguns que gostariam de saber por que dos discípulos de João Batista e os dos fariseus jejuavam e os de Jesus não. Aquele que havia de preparar o caminho para o Senhor esta fazendo discípulos para si. Aquele que diz: Olha ai o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, não o segue!

III. João Batista deveria fazer discípulos para Jesus e não para ele.
Em atos 19.1-6, encontramos uma história triste. O Apóstolo Paulo encontra alguns destes discípulos e ao perguntar a eles se já haviam recebido o Espírito Santo, a resposta deles nos deixa perplexos, pois disseram: Espírito Santo, nunca ouvimos falar que exista Espírito Santo! Paulo pergunta a eles em que foram batizados e eles respondem que no batismo de João, então Paulo corrige o erro explicando a eles a diferença entre os dois ministérios e os batiza em nome de Jesus para que pudessem receber o poder do Espírito Santo e também serem salvos.

A certeza do foco perdido vem na desilusão da dúvida e na incerteza da missão cumprida.

I. João Batista agora está preso.
Ninguém é bom o bastante para dividir o reino com Jesus. Se Jesus reinar, temos que sair de cena. Não podemos subsistir juntamente com ele. Um ministério glorioso porém dura apenas 6 meses.

De dentro da prisão João Batista faz uma pergunta que revela todo o assunto discorrido acima: És tu aquele que havia de vir, ou havemos de esperar outro? (Mt. 11.1). O homem que havia gritado para a multidão eis ai o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, agora está em dúvida se Jesus realmente era o Messias. É engraçado que o mesmo acontece com o Profeta Elias. Deus dá para ele uma ordem simples: vai a Acabe e diz para ele que vai chover. Deus não mandou Elias desafiar os profetas de Baal nem provar nada para ninguém. Mas o homem quando perde o foco é terrível e as consequências são sempre as mesmas: frustração, dúvidas e desilusão. João Batista está preso e em dúvida, Elias está fugindo de uma mulher e pede a própria morte. João Batista não tem certeza se Jesus realmente é o Messias, Elias está orando sete vezes por algo que nem precisava orar. A ordem de Deus foi clara: diga a Acabe que vai chover.

Tenho percebido que a maioria das nossas murmurações e frustrações estão relacionadas com a perda do foco. Sempre que pegamos a direção errada e não conseguimos êxito em nossas empreitadas, começamos a desfalecer e a perder as forças e então somos encharcados pela dúvida e pelos problemas que nos cercam.

Percebemos que Jesus não responde a pergunta de João, ele apenas diz: diga a ele que os cegos vêem, e os coxos andam; os leprosos são purificados, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho e bem-aventurado é aquele que não se escandalizar de mim. ( Mt 11.5.6).

Ás vezes me pergunto se João Batista não tinha conhecimento dos milagres que Jesus fazia ou  esta resposta serve para apoiar mais ainda o quanto João estava equivocado ao iniciar um ministério paralelo ao invés de apenas seguir a Jesus e levar as pessoas a fazerem o mesmo?

II. João Batista perde a cabeça - (Mt 14.8-11)
Chegamos ao ponto crucial da história. quem perde o foco, perde a cabeça. Quem perde o foco perde o ministério. Um ministério brilhante, porém curto. O profeta Elias depois da lambança com os profetas de Baal também sai de cena. A única coisa que vemos ele fazer depois deste episódio é ungir a Jéu rei e a Elizeu para profeta para ocupar o lugar dele (I Reis 19.16). É engraçado a pompa que Elias faz para que Elizeu receba alguma coisa da parte de Deus. Ele diz o queres que eu te faça? Porém, Deus já havia dito que era para ungir a Elizeu para ocupar o lugar dele, ou seja, a unção de Deus viria de qualquer forma. Elias gostava de acrescentar e fazer coisas que Deus não mandava e isto é muito perigoso. III- João Batista foi avaliado por Jesus (Mt 11.11). Jesus faz uma revelação tremenda!  “Em verdade vos digo que, entre os nascidos de mulher, não surgiu outro maior do que João, o Batista; mas aquele que é o menor no reino dos céus é maior do que ele”. Olha que coisa tremenda, o homem que veio preparar o caminho para o Reino de Deus, ficou fora dele. João continuou pregando o arrependimento porque o Reino dos Céus estava próximo, enquanto Jesus pregava abertamente e dava ordens aos seus discípulos para irem e pregarem a todos que o Reino dos Céus havia chegado (Lc 10.9).

Conclusão: João Batista perdeu o foco e a cabeça. Um Reino não tem dois reis. Para que um reine o outro tem que sair de cena. Se Jesus não for o Rei da sua vida e de seu ministério, você está em sério risco.